Rescisões na função pública podem valer um salário por ano

Primeiro-ministro anunciou na segunda-feira um programa de rescisões amigáveis na Administração Pública, que visa, "primordialmente, grupos de trabalhadores inseridos nas categorias de assistentes operacionais e assistentes técnicos”.


Os trabalhadores do Estado que aceitem rescindir o contrato podem receber um salário por cada ano de trabalho. 

A legislação prevê o pagamento de 20 dias, mas o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, prometeu pagar mais. 

Na véspera do arranque das negociações com os sindicatos, o “Jornal de Negócios” diz que, quem ficar, vai ter menos dias de férias, horários mais alargados e cortes nos salários e nos suplementos. 

No anúncio da medida, ontem, no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, Passos Coelho adiantou que "o Governo está empenhado em criar incentivos pós-emprego, baseados em programas de formação profissional e promoção do empreendedorismo, a que os trabalhadores poderão aderir após a rescisão". 

O primeiro-ministro defendeu ainda que o processo "deve ser encarado como uma oportunidade e não como uma ameaça para trabalhadores com serviços”, sendo que “a rescisão traduzirá, em última instância, uma opção de natureza individual que cada trabalhador poderá vir a tomar, face aos incentivos que lhe sejam fornecidos".

fonte:http://rr.sapo.pt/in

publicado por adm às 21:57 | comentar | favorito