Canadá endurece medidas para aceitar trabalhadores estrangeiros

A alteração mais importante diz respeito à eliminação da disposição que permitia às empresas pagarem a trabalhadores estrangeiros temporários salários cerca de 15% inferiores ao vencimento médio. Otava considera que o programa actual tem contribuído para a substituição de canadianos por imigrantes.


O Governo canadiano anunciou medidas que podem dificultar a entrada no país de trabalhadores estrangeiros temporários. Quer tentar evitar que as empresas substituam os trabalhadores locais por mão-de-obra mais barata. 

O ministro da Imigração do Canadá reconheceu que o programa actual - que permite a chegada ao país de mais de 300 mil trabalhadores estrangeiros temporários por ano - tem contribuído para a substituição de canadianos por imigrantes. "O programa de trabalhadores estrangeiros temporários tinha a intenção de responder a uma grave escassez laboral apenas temporariamente e não de deslocar os trabalhadores canadianos", afirmou Jason Kenney na segunda-feira, durante uma conferência de imprensa em que anunciou as mudanças. 

A partir de agora, as empresas que solicitem trabalhadores estrangeiros para preencher vagas vão ter de pagar para que o seu requerimento seja considerado. Também o montante que os estrangeiros vão ter de dar para obter a autorização de trabalho vai ser revisto em alta. Actualmente, a taxa cobrada é de 150 dólares canadianos (cerca de 114 euros). 

Contudo, a alteração mais importante prende-se, segundo analistas, com a eliminação da disposição que permitia às empresas pagarem a trabalhadores estrangeiros temporários salários cerca de 15% inferiores ao vencimento médio correspondente a esse posto de trabalho. 

Sindicatos e partidos da oposição têm apontado repetidamente que aautorização para pagarem menos aos trabalhadores oriundos de fora fomentava a redução dos salários dos canadianos e a importação de mão-de-obra barata. 

A decisão do Governo canadiano de avançar com esta reforma surge depois de, em Março, a economia do país ter perdido 54.500 postos de trabalho. 

A pressão para que aplicasse reformas agravou-se depois de trabalhadores do principal banco canadiano, o Royal Bank of Canada, terem denunciado, no início deste mês, que foram despedidos e substituídos por imigrantes temporários oriundos da Índia. Face às críticas, a instituição viu-se obrigada a pedir desculpas, assegurando que os trabalhadores despedidos seriam readmitidos.

fonte:http://rr.sapo.pt/i

publicado por adm às 22:18 | comentar | favorito
tags: