Alargamento do horário para 40 horas semanais é "mais um entrave" para as famílias

A Confederação Nacional das Associações de Família considerou, esta sexta-feira, que o alargamento do tempo de trabalho dos funcionários públicos de 35 para 40 horas semanais é "mais um entrave" para as famílias que já sentem dificuldades.

Segundo a proposta de lei de alteração ao Orçamento do Estado para 2013, entregue, esta sexta-feira, na Assembleia da República, o novo período normal de trabalho na Função Pública define que "o período de atendimento deve, tendencialmente, ter a duração mínima de oito horas diárias e abranger os períodos da manhã e da tarde".

Em declarações à agência Lusa, Hugo Oliveira, da direção da CNAF, disse que há nesta medida "uma tentativa de harmonização" dos horários de trabalho da Função Pública com o setor privado.

No entanto, "não podemos deixar de refletir e mostrar a nossa grande preocupação, porque este é mais um esforço para as famílias portuguesas nomeadamente as que têm membros na Função Pública", adiantou Hugo Oliveira.

A CNAF está preocupada por considerar que "estas medidas podem de alguma forma não ter em conta a realidade social existente".

"As pessoas têm rotinas de vidas estabelecidas, têm a organização da sua própria família e no momento em que estão a tentar resistir às adversidades, esta sobrecarga pode levar até a alguma desmotivação na família", sustentou.

Por isso, sublinhou, a "grande preocupação" da confederação é para que "as famílias não desmotivem".

"Percebemos que não vai ser fácil", porque as pessoas têm os filhos que saem a determinadas horas nas escolas ou que vão para atividades extracurriculares, têm uma rotina que "agora pode estar em causa", advertiu.

A CNAF quer "dar uma palavra de incentivo a estas famílias para que consigam se manter de pé numa altura tão difícil".

"Esperamos que as famílias consigam aguentar isto", disse Hugo Oliveira, defendendo que as medidas têm de ser tomadas de "uma forma gradual para permitir que as famílias possam encaixar a sua vida naquilo que pode ser uma nova realidade".

fonte:http://www.jn.pt/P

publicado por adm às 23:16 | comentar | favorito