Ajudas do Estado só chegam a 56% dos desempregados

O número de prestações de desemprego pagas em Portugal voltou a cair em julho, pelo terceiro mês consecutivo. Neste período, a Segurança Social contabilizou 384.013 beneficiários, menos 2,3% que no mês de junho e menos 6,14% que em julho do ano passado. Estes dados acompanham a queda no número de inscritos nos Centros de Emprego, menos 688.099 desempregados, uma redução de 0,3% face a Junho -, que já recuam há seis meses. No entanto, há muitos incritos a quem este apoio estatal ainda não chega. 

Cruzando os dados divulgados ontem pela Segurança Social com o número de pessoas inscritas nos Centros de Emprego contabilizados pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional para o mesmo mês, as prestações chegam apenas a 56% dos inscritos. Estas podem ser um subsídio social ou um subsídio de desemprego. 

Mas nem todos os desempregados que existem no País estão inscritos nos Centros de Emprego e, como tal, os números do IEFP deixam de fora uma fatia da população. Assim sendo, e de acordo com os dados do INE (Instituto Nacional de Estatítica) que agregam a totalidade de desempregados, as prestações de desemprego não atingem mais de metade dos desempregados: 56,4%.

Menos beneficiários a receber RSI
O número de beneficiários do Rendimento Social de Inserção também voltou a cair em julho. Naquele mês recebiam este apoio 269.903 pessoas sendo necessário recuar  a janeiro de 2007 para encontar um universo mais reduzido.

Os addos hoje disponibilizados pela Segurança Social indicam que entre junho e julho deixaram de receber este apoio 1194 pessoas. As comparações com a situação verificada no início deste ano ou no em julho de 2012 revelam igulamente uma queda no número de beneficiários.

Em média, cada um dos 269.903 beneficiários do rendimento social de inserção recebeu em julho cerca de 82,8 euros, valor que se tem mantido relativamente estável ao longo dos últimos meses.

A redução do número de pessoas abrangidas por este apoio social é uma das consequ~encia do aperto dos critérios e das condições de acesso ou de renovação do RSI e tem tisdo impacto na redução da despesa. De acordo com os dados da execução orçamental, até julho o RSI tinha absorvido 188 milhões de eurtos, o que traduz uma redução de 24,1% face ao valor atribuído no período homólogo de 2012.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/Eco

publicado por adm às 23:47 | comentar | favorito