Portugueses são dos que trabalham até mais tarde

Com uma idade de reforma em linha com a média dos países da OCDE, os portugueses acabam por ser dos que, na prática, acabam por sair do mercado de trabalho mais tarde.

De acordo com as contas apresentadas pela instituição num relatório publicado esta terça-feira, a idade de reforma efectiva em Portugal é, para os homens, de 68,4 anos e, para as mulheres, de 66,4 anos. Estes valores comparam com uma média nos países da OCDE de 64,2 e 63,6 anos, respectivamente.

A idade de reforma oficial é de 65 anos em Portugal e na média da OCDE. O Governo, no entanto, vai mudar o factor de sustentabilidade, de forma a que, em 2014, deixe de ser possível uma pessoa reformar-se antes dos 66 anos.

A OCDE defende, no seu relatório, que um maior tempo de trabalho conduz a um reforço da sustentabilidade do sistema de pensões e dá conta de duas tendências globais: em 2050, a idade de acesso à pensão será de 67 anos na maioria dos países da OCDE; e as reformas dos sistemas de pensões feitas nas últimas duas décadas reduziram as pensões prometidas aos que agora estão a entrar no mercado de trabalho. “Trabalhar mais tempo pode ajudar a compensar parte dessa redução, mas cada ano de contribuição para a futura pensão resulta num benefício menor do que antes das reformas levadas a cabo”, conclui a OCDE.

Por outro lado, a organização liderada por Angel Gurría destaca que aumentar a idade de acesso à pensão não será suficiente para garantir que as pessoas ficam efectivamente no mercado de trabalho e sugere que o tema seja abordado de forma “holística”, que tenha em conta o envelhecimento activo da população.

fonte:http://www.publico.pt/

publicado por adm às 20:19 | comentar | favorito
tags: