Homens portugueses trabalham em média até aos 67 anos

Portugal é um dos países da OCDE onde os homens se reformam mais tarde. Em média, os elementos do sexo masculino apenas saem do mercado de trabalho aos 67 anos, dois anos após a idade legal da reforma (65 anos), e bem depois do que fazem os seus parceiros europeus. 

Os dados constam do estudo intitulado “Pensions at Glance 2011” hoje divulgado pela OCDE, e baseiam-se na média de idades de reforma registadas entre 2004 e 2009, em cada um dos 30 países que integram a organização internacional. 

Já as mulheres portuguesas reformam-se antes da idade legal, aos 63,4 anos, mas, ainda assim, não pontuam mal face às suas parceiras comunitárias. Só na Irlanda, onde a idade para sair do mercado de trabalho também é de 65 anos, o tempo de permanência no mercado de trabalho é maior (ver gráficos). 

A escolha por permanecer mais tempo a trabalhar poderá, por isso, estar relacionada com o valor das pensões de reforma que, em termos absolutos, é relativamente baixo em Portugal. Com um sistema de Segurança Social muito jovem, a média de descontos dos trabalhadores que se estão a reformar está muito longe dos 40 anos exigidos, o que faz baixar muito o valor da pensão e aumenta o nível de incidência das pensões mínimas. 
Ainda assim, a OCDE assinala que Portugal é um dos países que continua a conferir incentivos a uma saída precoce do mercado de trabalho, sobretudo aos trabalhadores de mais baixos rendimentos. 

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/

publicado por adm às 23:52 | comentar | favorito